segunda-feira, 5 de junho de 2017

Bom dia pessoal! O prazo para o término dos projetos se aproxima. É importante que vocês comecem  a elaborar o relatório final. As orientações para a confecção deste relatório encontram-se na aba direita do blog do LACTEA.

Ronaldo

terça-feira, 25 de abril de 2017

Pessoal, segue link de um modelo de plano de projeto:

http://www.tecnologiadeprojetos.com.br/banco_objetos/%7BA531F65B-59E3-483D-8222-6517AB330B6D%7D_Modelo%20de%20Plano%20de%20Projeto%20orientado%20pelo%20escopo.pdf

O texto está disponível também no xerox, na pasta da disciplina.

Vocês tem que elaborar o plano do  projeto de vocês de acordo com o moldelo.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017


Departamento de Engenharia Mecânica/LACTEA
Disciplina: Introdução à Prática Experimental
Prof.  Ronaldo Marchezini
Atividade: O que é um problema em Engenharia?
Objetivo: Conhecer como os estudantes compreendem o campo da Engenharia e os problemas que caracterizam esse campo.

Respondam as questões abaixo:
1.      O que é Engenharia?





  



2.      O que é um problema em Engenharia?










3.      Como identificar e estruturar um problema em Engenharia?







Elaborado por : Prof.Adelson Fernandes Moreira e Prof. Ronaldo Marchezini

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Atenção estudantes, devido aos eventos ocorridos nesta semana que dificultaram o acesso ao Campus II e ao LACTEA, a apresentação dos trabalhos das turmas de Introdução à  Prática Experimental , T1 e T2, foi adiada para  05/12 ( segunda feira) e 06/12(terça feira)  respectivamente. Os grupos que já concluiram os trabalhos, caso queiram, poderão apresentar nos dias 28/11 e 29/11.

Ronaldo

Instruções para o Relatório Final.

Os relatórios de projetos no LACTEA devem conter os itens descritos a seguir.
O formato do relatório final deve seguir as normas da ABNT, assim como as orientações, a seguir:

Páginas iniciais: Capa (nome completo e curso dos autores do projeto, título, orientador, cidade, instituição, mês, ano) e sumário.

Dedicatórias, agradecimentos e outros dados gerais ficam a critério dos autores.

Resumo: Descrição sucinta (até 250 palavras), apresentando o objetivo ou a descrição essencial do projeto e indicação de três palavras-chave.


Introdução: A introdução deve apresentar as razões que levaram o grupo a escolher o tema para desenvolvimento do projeto, o contexto em que o trabalho foi realizado, a situação-problema estudada e os objetivos que se procurou alcançar. Na introdução pode-se também apresentar a relevância e alcances possíveis do projeto, além de outros elementos que o grupo considere necessários. As citações e referências teóricas deverão ser indicadas no texto com as fontes bibliográficas completas apresentadas ao final do relatório.


Materiais e Métodos: Neste item deve-se apresentar como o projeto foi desenvolvido, os materiais e métodos que foram utilizados, os passos seguidos para a realização do projeto desde o seu planejamento inicial, os recursos técnicos, humanos e financeiros que foram empregados.


Resultados: Neste item deve-se apresentar os resultados alcançados com a realização do projeto, incluindo uma discussão crítica sobre as dificuldades e imprevistos encontrados no seu desenvolvimento.


Discussão: Neste item deve-se apresentar considerações gerais sobre os resultados obtidos, as inovações técnicas ou tecnológicas que tenham sido obtidas ou que foram percebidas como possibilidades concretas, assim como as possíveis aplicações e expansões do projeto.


Referências Bibliográficas: Citação completa das referências bibliográficas utilizadas (artigos, sites, livros, manuais, etc), segundo o padrão da ABNT.


Anexos: Materiais diversos relevantes para o projeto tais como: textos de apoio, croquis, documentos, etc. Pode-se incluir no anexo o formulário de planejamento do projeto que tenha sido utilizado.

Desenhos e fotos do protótipo desenvolvido devem anexados ao documento.

FORMATO: papel A4; margens de 2,5 cm, fonte arial 12; entrelinha 1,5.
ENTREGAR: arquivo eletrônico  e documento impresso.


Orientações para a apresentação pública do projeto

1. O tempo de apresentação é de 20 minutos por grupo e deverá ser feita com slides para projeção multimídia.
2. Todos os integrantes do grupo deverão participar.
3. As montagens, equipamentos e recursos que integrarão a apresentação devem ser previamente testados e estar em perfeito funcionamento.
4. Sugere-se que o grupo comece pela exposição da montagem prática do projeto apresentando, a partir daí, a discussão teórico-conceitual necessária à compreensão do projeto.
5. Não será permitida a mera leitura de material. Cada integrante do grupo deve familiarizar-se prévia e adequadamente com o assunto a expor.
6. Qualquer material informativo – como folhetos e catálogos – a ser distribuído ao público deverá ser previamente aprovado pelo orientador e conter referência explícita ao LACTEA.
7. A documentação do projeto (relatório técnico, diário de bordo, arquivos eletrônicos e outros itens) deverá ser entregue ao professor-orientador do projeto ao final da apresentação, gravados em cederom.
8. Recomenda-se aos alunos a assistência mínima de 75% das apresentações.

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Correção da postagem anterior.
Devido ao recesso escolar segunda ( 10/10) e terça (11/10) não haverá aula. Logo o plano de projeto deverá ser entregue nos dias 17/10 e 18/10.
Lembro que são duas semanas de trabalho, logo deverão ser feitas duas postagens nos blogs.
Ronaldo.

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Preezados estudantes, Segue modelo para a elaboração do plano de projeto. O mesmo deverá ser entregue na próxima semana ( 10/10  e 11/10).



segunda-feira, 8 de agosto de 2016


Disciplina: Introdução à Prática Experimental
Prof.  Ronaldo Marchezini
Elaborado por: Prof. Adelson Fernandes Moreira e Ronaldo Marchezini

Atividade: Leitura do texto ‘Novos modelos de produção e formação do engenheiro: uma abordagem CTS’.
Objetivo: Criar um contexto de reflexão sobre os fatores que devem ser considerados na estruturação de um problema em engenharia, especialmente como se relacionam as necessidades humanas e as necessidades do mercado, nesse processo.
Ações:
Leitura do texto, consultando, quando necessário, o glossário fornecido ao final dessas orientações.
Resposta às perguntas propostas, de forma manuscrita ou impressa.
Data de entrega das respostas: 22/08 (T1); 16/08 (T2)
Questões
O texto dessa atividade propõe uma reflexão ampla sobre a formação do engenheiro. Os aspectos tratados no texto não serão esgotados no debate que será realizado em 28 e 29/10. Conforme explicitado, no objetivo, buscamos criar um contexto para refletirmos sobre os fatores que devem ser considerados na estruturação de um problema em engenharia. Para orientar a interpretação do texto e destacar ideias a serem discutidas, responda as perguntas a seguir:
1. Enuncie as semelhanças e diferenças entre os modelos de formação do engenheiro, discutidos no texto.
2. Enuncie um exemplo de problema, em engenharia, orientado:
a) pelo exercício da cidadania como instrumento de mercado.
b) pela constituição de um mercado como instrumento de cidadania.
3. a) O que significa afirmar que a tecnologia não é neutra?
b) Na p. 250, os autores relatam dois fatos que exemplificam a não neutralidade da tecnologia.  Apresente outro fato ou situação que também ilustra essa não neutralidade.
c) Que relação os autores estabelecem entre essa visão não neutra da tecnologia com a ética no exercício da engenharia?
4. Enuncie os dois conceitos de inovação apresentados no texto, indicando qual deles é apontado pelos autores como referência para a formação do engenheiro.
5. As ações propostas no plano da disciplina Introdução à Prática Experimental promovem a inovação em alguma das perspectivas apresentadas no texto? Justifique.


Glossário
Fordismo/taylorismo:
Formas de organização de produção industrial que provocaram mudanças significativas no ambiente fabril. Esses dois sistemas visavam à racionalização extrema da produção e, consequentemente, à maximização da produção e do lucro. Frederick Winslow Taylor (1856 – 1915), engenheiro mecânico, desenvolveu um conjunto de métodos para a produção industrial, que ficou conhecido como taylorismo. De acordo com Taylor, o funcionário deveria apenas exercer sua função/tarefa em um menor tempo possível durante o processo produtivo, não havendo necessidade de conhecimento da forma como se chegava ao resultado final. Sendo assim, o taylorismo aperfeiçoou o processo de divisão técnica do trabalho, sendo que o conhecimento do processo produtivo era de responsabilidade única do gerente, que também fiscalizava o tempo destinado a cada etapa da produção. Outra característica foi a padronização e a realização de atividades simples e repetitivas. Henry Ford (1863 – 1947), por sua vez, desenvolveu o sistema de organização do trabalho industrial denominado fordismo. A principal característica do fordismo foi a introdução das linhas de montagem, na qual cada operário ficava em um determinado local realizando uma tarefa específica, enquanto o automóvel (produto fabricado) se deslocava pelo interior da fábrica em uma espécie de esteira. Com isso, as máquinas ditavam o ritmo do trabalho. O funcionário da fábrica se especializava em apenas uma etapa do processo produtivo e repetia a mesma atividade durante toda a jornada de trabalho, fato que provocava uma alienação física e psicológica nos operários, que não tinham noção do processo produtivo do automóvel. (http://www.brasilescola.com/geografia/taylorismo-fordismo.htm, acesso em 12/10/2013).
Tecnicismo
Supervalorização da técnica em detrimento de outros aspectos que constituem determinado processo ou sistema. Funda-se no pressuposto da neutralidade científica e inspira-se nos princípios de racionalidade, eficiência e produtividade. Uma visão tecnicista busca reordenar determinado processo, eliminando a dimensão subjetiva, de modo a torná-lo objetivo e racional. A organização racional minimiza as interferências subjetivas que possam colocar em risco a eficiência. O aspecto principal do tecnicismo é a organização racional dos meios, como garantia de eficiência, com o ser humano ocupando uma posição secundária (baseado emhttp://www.histedbr.fae.unicamp.br/navegando/glossario/
verb_c_pedagogia_tecnicista.htm
. Acesso em 12/10/2013).
Referenciais CTS:
Referenciais que se organizam a partir de uma leitura crítica das relações entre ciência, tecnologia e sociedade.
Determinismo tecnológico:
Fundamenta-se no entendimento da mudança tecnológica como fator preponderante da mudança social. Assim os limites do que uma sociedade pode fazer são definidos pela tecnologia. Uma visão de mundo condicionada pelo determinismo tecnológico considera a tecnologia como autônoma e livre de influências sociais. Por isso, a participação da sociedade em nada pode mudar o curso do processo em andamento, configurado pela tecnologia.

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Departamento de Engenharia Mecânica/LACTEA 
Professor: Ronaldo Marchezini 

Segundo Semestre de 2016

Disciplina: Introdução à Prática Experimental. 

Plano da Disciplina  
Ementa: 
Introdução à experimentação e ao desenvolvimento de protótipos, elaboração e execução de um plano de projetos, escrita e normalização de um projeto.

Carga Horária:  25 horas/30 aulas.

Objetivos
Desenvolver competências relacionadas com uma prática experimental investigativa e com a elaboração e desenvolvimento de projetos, envolvendo as seguintes ações:

  • Identificação e estruturação de um problema como situação geradora de um projeto. 
  • Escrita e normalização de um projeto.
  • Levantamento e tratamento de dados a partir de fontes de informação diversas. 
  • Identificação e utilização dos recursos e meios necessários à implementação de um projeto. 
  • Mobilização de diferentes profissionais que podem contribuir para a implementação de um projeto. 
  • Realização de atividades em grupo. 
  • Acompanhamento e registro do processo de desenvolvimento de um projeto. 
  • Análise das implicações para a sociedade do projeto implementado.  Comunicação oral e escrita dos resultados. 


Etapas

  • Apresentação do plano da disciplina. (semana 1) 
  • O que é um problema no campo da engenharia? Estrutura de um projeto (semana 2) 
  • Constituição dos grupos de trabalho, identificação e  estruturação de um problema como situação geradora de um projeto. Utilização da técnica ‘brainstorming’ (toró de palpites), como uma primeira etapa da elaboração do problema.  (semanas 3 e 4) 
  • Redação do projeto (semana 5 ) 
  • Implementação do projeto (semanas 6 a 14) 
  • Comunicação e discussão dos resultados, especialmente do ponto de vista de suas implicações sociais. (semana 15) 
  • Avaliação coletiva das atividades desenvolvidas na disciplina e auto avaliação. (semana 16) 


Itens de avaliação.

  • Identificação e estruturação de um problema como situação geradora de um projeto. 
  • Elaboração do projeto. 
  • Resultados alcançados com o projeto.
  • Comunicação oral e escrita dos resultados, discutindo-os do ponto de vista dos objetivos alcançados e de suas implicações sociais. 
  • Registro quinzenal do processo de elaboração e implementação do projeto: diário eletrônico por meio de um blog. 

Cada item será avaliado em 100 pontos. A nota final será uma média ponderada dos itens. Os itens ‘identificação e  estruturação de um problema como situação geradora de um projeto’ e ‘comunicação oral e escrita dos resultados’, discutindo suas implicações terão peso 2. Os demais itens terão peso 1.
A frequência será registrada semanalmente e será considerada dentro do acompanhamento do registro quinzenal do blog.

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Estudantes do curso de mecânica, primeiro semestre de 2016:  apresentação do trabalho final foi adiada para  a última semana de junho. As apresentações ocorrerão nos dias 27/06 e 28/06. Assim vocês terão a semana que vem para concluir os trabalhos.


terça-feira, 24 de novembro de 2015

Orientações para o Relatório Final

Estrutura
1- Introdução.
2- Objetivo.
3- Procedimentos.
4- Produtos e resultados.
5- Conclusão.
6- Referências bibliográficas

Todo o relatório, desde a capa até as referências, formatado segundo normas da ABNT.

Introdução
Na introdução, apresentar o escopo do projeto, tal qual ou mais detalhado do que aquele desenvolvido no plano de projeto.

Objetivo
Enunciar o objetivo, de forma clara e concisa, com a apresentação e explicação de um desenho, quando a solução se tratar do desenvolvimento de um produto, mecanismo ou sistema.

Procedimentos
Descrever as ações realizadas para se alcançar o objetivo. Redigir de forma impessoal, com objetividade e concisão. Possibilitar refazer as ações do grupo de forma a alcançar os mesmos resultados ou melhorá-los. Detalhar e explicar com clareza, com ajuda de figuras, fotos e desenhos. 

Produtos e resultados 
Mostrar, com detalhe, o que foi produzido com o trabalho do grupo (produto), Incluir gráficos, figuras e desenhos, para ilustrar e representar o produto. Apresentar o custo do produto. Enunciar as consequências (resultados) que podem ser obtidas a partir do que foi produzido. Referenciar no objetivo proposto. O produto funcionou? Que resultado pode ser obtido com ele?

Conclusão
Avaliar a concretização do objetivo do projeto O produto do projeto possibilitou solucionar o problema apresentado na situação geradora? Apresentar as razões, analisando o processo de execução do projeto, as dificuldades encontradas e não superadas, quando a realização do objetivo for parcial. Apontar encaminhamentos futuros.

Referências Bibliográficas
Indicar as fontes consultadas para a realização do projeto.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Trabalho para semana 06

Departamento de Engenharia Mecânica/LACTEA 
Disciplina: Introdução à Prática Experimental. 
Prof. Ronaldo Marchezini 
Atividade: Leitura do texto ‘Um modelo de planejamento de projetos 1’. 

Objetivos: Refletir sobre a importância de planejar, antes de partir para as ações de execução de um projeto. Proporcionar referências para a elaboração de um plano de projeto.

Ações:
  1. Leitura do texto . 
  2. Análise de uma experiência de projeto, retratada em blog na página do LACTEA, com base em roteiro apresentado a seguir. 
  3. Preparar uma apresentação em PowerPoint, com duração de até 20 minutos, da análise realizada. 
  4.  Apresentar a análise na aula. 
Roteiro de Análise:
  1. Analisar a experiência de elaboração e desenvolvimento de um projeto,tendo em vista as etapas de seu ciclo de vida: Plano do projeto; escopo; plano de ação; plano de controle e avaliação; Execução; Controle; Encerramento. 
Na apresentação, cada uma dessas etapas, com seus respectivos elementos componentes, deve ser conceituada, antes de sua aplicação como critério de análise da experiência do projeto.

1 MOURA, Dácio G. e BARBOSA, Eduardo F..Trabalhando com projetos : planejamento e gestão de projetos educacionais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011, 293p

segunda-feira, 22 de setembro de 2014


Departamento de Engenharia Mecânica/LACTEA
Disciplina: Introdução à Prática Experimental
Prof.  Ronaldo Marchezini
Elaborado por: Prof. Adelson Fernandes Moreira e Ronaldo Marchezini

Atividade: Leitura do texto ‘Novos modelos de produção e formação do engenheiro: uma abordagem CTS’.
Objetivo: Criar um contexto de reflexão sobre os fatores que devem ser considerados na estruturação de um problema em engenharia, especialmente como se relacionam as necessidades humanas e as necessidades do mercado, nesse processo.
Ações:
Leitura do texto, consultando, quando necessário, o glossário fornecido ao final dessas orientações.
Resposta às perguntas propostas, de forma manuscrita ou impressa.
Data de entrega das respostas: 29/09(G1); 30/09m (G2).
Questões
O texto dessa atividade propõe uma reflexão ampla sobre a formação do engenheiro. Os aspectos tratados no texto não serão esgotados no debate que será realizado em 28 e 29/10. Conforme explicitado, no objetivo, buscamos criar um contexto para refletirmos sobre os fatores que devem ser considerados na estruturação de um problema em engenharia. Para orientar a interpretação do texto e destacar ideias a serem discutidas, responda as perguntas a seguir:
1. Enuncie as semelhanças e diferenças entre os modelos de formação do engenheiro, discutidos no texto.
2. Enuncie um exemplo de problema, em engenharia, orientado:
a) pelo exercício da cidadania como instrumento de mercado.
b) pela constituição de um mercado como instrumento de cidadania.
3. a) O que significa afirmar que a tecnologia não é neutra?
b) Na p. 250, os autores relatam dois fatos que exemplificam a não neutralidade da tecnologia.  Apresente outro fato ou situação que também ilustra essa não neutralidade.
c) Que relação os autores estabelecem entre essa visão não neutra da tecnologia com a ética no exercício da engenharia?
4. Enuncie os dois conceitos de inovação apresentados no texto, indicando qual deles é apontado pelos autores como referência para a formação do engenheiro.
5. As ações propostas no plano da disciplina Introdução à Prática Experimental promovem a inovação em alguma das perspectivas apresentadas no texto? Justifique.


Glossário
Fordismo/taylorismo:
Formas de organização de produção industrial que provocaram mudanças significativas no ambiente fabril. Esses dois sistemas visavam à racionalização extrema da produção e, consequentemente, à maximização da produção e do lucro. Frederick Winslow Taylor (1856 – 1915), engenheiro mecânico, desenvolveu um conjunto de métodos para a produção industrial, que ficou conhecido como taylorismo. De acordo com Taylor, o funcionário deveria apenas exercer sua função/tarefa em um menor tempo possível durante o processo produtivo, não havendo necessidade de conhecimento da forma como se chegava ao resultado final. Sendo assim, o taylorismo aperfeiçoou o processo de divisão técnica do trabalho, sendo que o conhecimento do processo produtivo era de responsabilidade única do gerente, que também fiscalizava o tempo destinado a cada etapa da produção. Outra característica foi a padronização e a realização de atividades simples e repetitivas. Henry Ford (1863 – 1947), por sua vez, desenvolveu o sistema de organização do trabalho industrial denominado fordismo. A principal característica do fordismo foi a introdução das linhas de montagem, na qual cada operário ficava em um determinado local realizando uma tarefa específica, enquanto o automóvel (produto fabricado) se deslocava pelo interior da fábrica em uma espécie de esteira. Com isso, as máquinas ditavam o ritmo do trabalho. O funcionário da fábrica se especializava em apenas uma etapa do processo produtivo e repetia a mesma atividade durante toda a jornada de trabalho, fato que provocava uma alienação física e psicológica nos operários, que não tinham noção do processo produtivo do automóvel. (http://www.brasilescola.com/geografia/taylorismo-fordismo.htm, acesso em 12/10/2013).
Tecnicismo
Supervalorização da técnica em detrimento de outros aspectos que constituem determinado processo ou sistema. Funda-se no pressuposto da neutralidade científica e inspira-se nos princípios de racionalidade, eficiência e produtividade. Uma visão tecnicista busca reordenar determinado processo, eliminando a dimensão subjetiva, de modo a torná-lo objetivo e racional. A organização racional minimiza as interferências subjetivas que possam colocar em risco a eficiência. O aspecto principal do tecnicismo é a organização racional dos meios, como garantia de eficiência, com o ser humano ocupando uma posição secundária (baseado em http://www.histedbr.fae.unicamp.br/navegando/glossario/
verb_c_pedagogia_tecnicista.htm
. Acesso em 12/10/2013).
Referenciais CTS:
Referenciais que se organizam a partir de uma leitura crítica das relações entre ciência, tecnologia e sociedade.
Determinismo tecnológico:
Fundamenta-se no entendimento da mudança tecnológica como fator preponderante da mudança social. Assim os limites do que uma sociedade pode fazer são definidos pela tecnologia. Uma visão de mundo condicionada pelo determinismo tecnológico considera a tecnologia como autônoma e livre de influências sociais. Por isso, a participação da sociedade em nada pode mudar o curso do processo em andamento, configurado pela tecnologia.
Departamento de Engenharia Mecânica/LACTEA
 Disciplina: Introdução à Prática Experimental
 Prof. Ronaldo Marchezini
Plano da disciplina

 Objetivos
 Desenvolver competências relacionadas às seguintes ações de uma prática experimental investigativa e de elaboração e desenvolvimento de projetos: 
 • Elaboração e justificativa de um problema, como situação geradora de um projeto.
 • Escrita e normalização de um projeto. 
 • Levantamento e tratamento de dados a partir de fontes de informação diversas.
 • Identificação e utilização dos recursos e meios necessários à implementação de um projeto.
 • Mobilização de diferentes profissionais que podem contribuir para a implementação de um projeto.  • Realização de atividades em grupo. 
 • Acompanhamento e registro do processo de desenvolvimento de um projeto.
 • Análise das implicações sociais do projeto implementado.
 • Comunicação oral e escrita dos resultados.

 Etapas 
 • Apresentação do plano da disciplina. (semana 1) 
 • O que é um problema no campo da engenharia? Estrutura de um projeto (semana 2) 
 • Constituição dos grupos de trabalho, elaboração e justificativa do problema, como situação geradora do projeto. Utilização da técnica ‘brainstorming’ (toró de palpites), como uma primeira etapa da elaboração do problema. (semanas 3 e 4)
 • Elaboração e redação do projeto (semana 5, 6 e 7 ) 
 • Implementação do projeto (semanas 8 a 12) 
 • Comunicação e discussão dos resultados, especialmente do ponto de vista de suas implicações sociais. (semana 13 e 14) 
 • Avaliação coletiva das atividades desenvolvidas na disciplina. (semana 15) 

 Itens de avaliação. 
 • Plano de projetos.
 • Comunicação oral dos resultados, discutindo-os do ponto de vista dos objetivos alcançados e de suas implicações sociais. 
 • Relatório final do projeto, discutindo os resultados do ponto de vista dos objetivos alcançados e de suas implicações sociais. 
• Registro semanal do processo de elaboração e implementação do projeto: diário eletrônico por meio de um blog.
• Auto avaliação. 

Cada item será avaliado em 100 pontos. A nota final será uma média ponderada dos itens. Plano de Projeto e o Relatório final terão peso 2. Os demais itens terão peso 1. A frequência será registrada semanalmente e será considerada dentro do acompanhamento do registro semanal do blog.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Os relatórios de projetos no LACTEA devem conter os itens descritos a seguir. O formato do relatório final deve seguir as normas da ABNT, assim como as orientações, a seguir: Páginas iniciais: Capa (nome completo e curso dos autores do projeto, título, orientador, cidade, instituição, mês, ano); dedicatórias; agradecimentos; sumário; outros dados gerais a critério dos autores. Resumo: Descrição sucinta (até 250 palavras), apresentando o objetivo ou a descrição essencial do projeto e indicação de três palavras-chave. Introdução: A introdução deve apresentar as razões que levaram o grupo a escolher o tema para desenvolvimento do projeto, o contexto em que o trabalho foi realizado, a situação-problema estudada e os objetivos que se procurou alcançar. Na introdução pode-se também apresentar a relevância e alcances possíveis do projeto, além de outros elementos que o grupo considere necessários. As citações e referências teóricas deverão ser indicadas no texto com as fontes bibliográficas completas apresentadas ao final do relatório. Materiais e Métodos: Neste item deve-se apresentar como o projeto foi desenvolvido, os materiais e métodos que foram utilizados, os passos seguidos para a realização do projeto desde o seu planejamento inicial, os recursos técnicos, humanos e financeiros que foram empregados. Resultados: Neste item deve-se apresentar os resultados alcançados com a realização do projeto, incluindo uma discussão crítica sobre as dificuldades e imprevistos encontrados no seu desenvolvimento. Discussão: Neste item deve-se apresentar considerações gerais sobre os resultados obtidos, as inovações técnicas ou tecnológicas que tenham sido obtidas ou que foram percebidas como possibilidades concretas, assim como as possíveis aplicações e expansões do projeto. Referências Bibliográficas: Citação completa das referências bibliográficas utilizadas (artigos, sites, livros, manuais, etc), segundo o padrão da ABNT. Anexos: Materiais diversos relevantes para o projeto tais como: textos de apoio, croquis, documentos, etc. Pode-se incluir no anexo o formulário de planejamento do projeto que tenha sido utilizado. FORMATO: papel A4; margens de 2,5 cm, fonte arial 12; entrelinha 1,5. ENTREGAR: arquivo eletronico Orientações para a apresentação pública do projeto 1.O tempo de apresentação é de 20 minutos por grupo e deverá ser feita com slides para projeção multimídia. 2. Todos os integrantes do grupo deverão participar. 3. As montagens, equipamentos e recursos que integrarão a apresentação devem ser previamente testados e estar em perfeito funcionamento. 4. Sugere-se que o grupo comece pela exposição da montagem prática do projeto apresentando, a partir daí, a discussão teórico-conceitual necessária à compreensão do projeto. 5. Não será permitida a mera leitura de material. Cada integrante do grupo deve familiarizar-se prévia e adequadamente com o assunto a expor. 6. Qualquer material informativo – como folhetos e catálogos – a ser distribuído ao público deverá ser previamente aprovado pelo orientador e conter referência explícita ao LACTEA. 7. A documentação do projeto (relatório técnico, diário de bordo, arquivos eletrônicos e outros itens) deverá ser entregue ao professor-orientador do projeto ao final da apresentação, gravados em cederom. 8. Recomenda-se aos alunos a assistência mínima de 75% das apresentações.

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Atividade: Leitura do texto ‘Novos modelos de produção e formação do engenheiro: uma abordagem CTS’.

OBJETIVO:
Criar um contexto de reflexão sobre os fatores que devem ser considerados na estruturação de um problema em engenharia, especialmente como se relacionam as necessidades humanas e as necessidades do mercado, nesse processo.

AÇÕES:
Leitura do texto, consultando, quando necessário, o glossário fornecido ao final dessas orientações.
Resposta às perguntas propostas, de forma manuscrita ou impressa.

Data de entrega das respostas: terceira semana
QUESTÕES

O texto dessa atividade propõe uma reflexão ampla sobre a formação do engenheiro. Os aspectos tratados no texto não serão esgotados no debate que será realizado em classe. Conforme explicitado, no objetivo, buscamos criar um contexto para refletirmos a respeito dos fatores que devem ser considerados na estruturação de um problema em engenharia. Para orientar a interpretação do texto e destacar ideias a serem discutidas, responda as perguntas a seguir:

Questão 1
Enuncie as semelhanças e diferenças entre os modelos de formação do engenheiro, discutidos no texto.

Questão 2 
Enuncie um exemplo de problema, em engenharia, orientado:
a) pelo exercício da cidadania como instrumento de mercado.
b) pela constituição de um mercado como instrumento de cidadania.

Questão 3
a) O que significa afirmar que a tecnologia não é neutra?
b) Na p. 250, os autores relatam dois fatos que exemplificam a não neutralidade da tecnologia.  Apresente outro fato ou situação que também ilustra essa não neutralidade.
c) Que relação os autores estabelecem entre essa visão não neutra da tecnologia com a ética no exercício da engenharia?

Questão 4
Enuncie os dois conceitos de inovação apresentados no texto, indicando qual deles é apontado pelos autores como referência para a formação do engenheiro.

Questão 5
As ações propostas no plano da disciplina Introdução à Prática Experimental promovem a inovação em alguma das perspectivas apresentadas no texto? Justifique.
GLOSSÁRIO

Big Science:
Estilo de pesquisa científica desenvolvida durante e após a Segunda Guerra Muncial, que definiu a organização e característica de grande parte da pesquisa desenvolvida em física e astronomia, assim como nas ciências biológicas em momento posterior. Caracteriza-se por facilidades e disponibilização de instrumentos em larga escala, sustentada por fundos governamentais e de agências internacionais, a partir dos quais a pesquisa é conduzida por equipes e grupos de cientistas e técnicos. Alguns dos projetos Big Science mais conhecidos estão no campo da física de altas energias, desenvolvida no CERN (Organização Européia para Pesquisa Nuclear), Telescópio Espacial Hubble e o programa Apolo (traduzido de http://global.britannica.com/EBchecked/topic/64995/Big-Science. Acesso em 12/10/2013).

Determinismo tecnológico:
Fundamenta-se no entendimento da mudança tecnológica como fator preponderante da mudança social. Assim os limites do que uma sociedade pode fazer são definidos pela tecnologia. Uma visão de mundo condicionada pelo determinismo tecnológico considera a tecnologia como autônoma e livre de influências sociais. Por isso, a participação da sociedade em nada pode mudar o curso do processo em andamento, configurado pela tecnologia.

Epistemológico:
Relativo ao processo de produção de conhecimento válido e considerado verdadeiro por determinada comunidade.

Fordismo/taylorismo:
Formas de organização de produção industrial que provocaram mudanças significativas no ambiente fabril. Esses dois sistemas visavam à racionalização extrema da produção e, consequentemente, à maximização da produção e do lucro. Frederick Winslow Taylor (1856 – 1915), engenheiro mecânico, desenvolveu um conjunto de métodos para a produção industrial, que ficou conhecido como taylorismo. De acordo com Taylor, o funcionário deveria apenas exercer sua função/tarefa em um menor tempo possível durante o processo produtivo, não havendo necessidade de conhecimento da forma como se chegava ao resultado final. Sendo assim, o taylorismo aperfeiçoou o processo de divisão técnica do trabalho, sendo que o conhecimento do processo produtivo era de responsabilidade única do gerente, que também fiscalizava o tempo destinado a cada etapa da produção. Outra característica foi a padronização e a realização de atividades simples e repetitivas. Henry Ford (1863 – 1947), por sua vez, desenvolveu o sistema de organização do trabalho industrial denominado fordismo. A principal característica do fordismo foi a introdução das linhas de montagem, na qual cada operário ficava em um determinado local realizando uma tarefa específica, enquanto o automóvel (produto fabricado) se deslocava pelo interior da fábrica em uma espécie de esteira. Com isso, as máquinas ditavam o ritmo do trabalho. O funcionário da fábrica se especializava em apenas uma etapa do processo produtivo e repetia a mesma atividade durante toda a jornada de trabalho, fato que provocava uma alienação física e psicológica nos operários, que não tinham noção do processo produtivo do automóvel. (http://www.brasilescola.com/geografia/taylorismo-fordismo.htm, acesso em 12/10/2013).

Just in time:
‘No tempo certo’. Expressão que significa produzir somente o que é necessário, quando necessário e na quantidade necessária (extraído de http://www.toyota-global.com/company/vision_philosophy/
toyota_production_system/just-in-time.html. Acesso em 12/10/2013).

Lean production:
Filosofia de gestão focada na redução dos sete tipos de desperdícios (super-produção, tempo de espera, transporte, excesso de processamento, inventário, movimento e defeitos). Eliminando esses desperdícios, a qualidade melhora e o tempo e custo de produção diminuem. As ferramentas "lean" incluem processos contínuos de análise, produção e elementos/processos à prova de falhas. Lean é basicamente tudo o que concerne à obtenção de materiais corretos, no local correto, na quantidade correta, minimizando o desperdício, sendo flexível e aberto a mudanças. (reproduzido com pequenas modificações de http://pt.wikipedia.org/wiki/Lean_manufacturing. Acesso em 12/10/2013).

Referenciais CTS:
Referenciais que se organizam a partir de uma leitura crítica das relações entre ciência, tecnologia e sociedade.

Tecnicismo:
Supervalorização da técnica em detrimento de outros aspectos que constituem determinado processo ou sistema. Funda-se no pressuposto da neutralidade científica e inspira-se nos princípios de racionalidade, eficiência e produtividade. Uma visão tecnicista busca reordenar determinado processo, eliminando a dimensão subjetiva, de modo a torná-lo objetivo e racional. A organização racional minimiza as interferências subjetivas que possam colocar em risco a eficiência. O aspecto principal do tecnicismo é a organização racional dos meios, como garantia de eficiência, com o ser humano ocupando uma posição secundária (baseado em http://www.histedbr.fae.unicamp.br/navegando/glossario/verb_c_pedagogia_tecnicista.htm. Acesso em 12/10/2013).
  
Tecnocracia:
Transferência do poder político de decisão a um gestor que, mesmo não sendo um especialista, parte da competência e tem em vista a eficiência. O regime tecnocrático pode ser definido, em sentido estrito, como aquele em que o tecnocrata indica, na base da competência, tanto os meios quanto os fins da ação social. Enquanto o técnico se qualifica como um perito do particular, o tecnocrata é definido como um perito do geral. Se o primeiro é um especialista, o segundo é um perito em ideias gerais, caracterizado por uma polivalência de funções e por um conhecimento global das variáveis da ação. O tecnocrata reelabora e coordena os resultados da colaboração de seus assessores, integrando-os nos mecanismos de decisão política. Diante dessa pretensa eficiência, racionalidade e neutralidade da política exercida a partir de critérios puramente técnicos, cabem as seguintes questões: Qual é a relação entre competência e política? Quem é o generalista? O tecnocrata, em sua aspiração de a tudo compreender, ou em última análise e, apesar de tudo, o político? A competência é suficiente para se decidir sobre os fins? Os fins não exigem de preferência opções de valor e de cultura? A competência é suficientemente neutra para ser exercida à margem de conflitos de interesses? Em que ponto o competente se diferencia do político na resolução do conflito de interesses essenciais? Como se comportaria o competente numa situação de conflito entre uma decisão aconselhada pela competência, mas cujas implicações poderiam levar à perda da posição de poder? (reproduzido com modificações do verbete ‘tecnocracia’, no Dicionário de Política, de Norberto Bobbio)